Translate

Bem-vindo ao Blog do Livro

Este blog fala sobre a Língua Portuguesa e livros. Espero que goste, não esqueça de me seguir pelo twitter: @BLivro.
Você também pode curtir a página do blog no facebook : Blog do livro (www.facebook.com/pages/Blog-do-Livro/276116405825912)
Não deixe de colocar a sua opinião, comente!

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Os Sinais de Pontuação: Funções, parte 2

Olá, desta vez só vou postar sobre a virgula, pois o conteúdo sobre ela é muito grande.

VÍRGULA ( , )

É usada para marcar uma pausa do enunciado com a finalidade de nos indicar que os termos por ela separados, apesar de participarem da mesma frase ou oração, não formam uma unidade sintática.                   Ex.: Lúcia, esposa de João, foi a ganhadora única da Sena.
Podemos concluir que, quando há uma relação sintática entre termos da oração, não se pode separá-los por meio de vírgula.
Não se separam por vírgula:
  • predicado de sujeito;
  • objeto de verbo;
  • adjunto adnominal de nome;
  • complemento nominal de nome;
  • predicativo do objeto do objeto;
  • oração principal da subordinada substantiva (desde que esta não seja apositiva nem apareça na ordem inversa).

A vírgula no interior da oração

É utilizada nas seguintes situações:
a) Separar o vocativo.                                                                        Ex.:Maria, traga-me uma xícara de café.
A educação, meus amigos, é fundamental para o progresso do país.

b) Separar alguns apostos.                                                        Ex.:Valdete, minha antiga empregada, esteve aqui ontem.

c) Separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado.
Ex.: Chegando de viagem, procurarei por você.
As pessoas, muitas vezes, são falsas.

d) Separar elementos de uma enumeração.
Ex.: Precisa-se de pedreiros, serventes, mestre-de-obras.

e) Isolar expressões de caráter explicativo ou corretivo.
Ex.: Amanhã, ou melhor, depois de amanhã podemos nos encontrar para acertar a viagem.

f) Separar conjunções intercaladas.
Ex.: Não havia, porém, motivo para tanta raiva.

g) Separar o complemento pleonástico antecipado.
Ex.: A mim, nada me importa.

h) Isolar o nome de lugar na indicação de datas.
Ex.: Belo Horizonte, 26 de janeiro de 2001.

i) Separar termos coordenados assindéticos.
Ex.: "Lua, lua, lua, lua,
por um momento meu canto contigo compactua..."  (Caetano Veloso)

j) Marcar a omissão de um termo (normalmente o verbo).
Ex.: Ela prefere ler jornais e eu, revistas. (omissão do verbo preferir)
Termos coordenados ligados pelas conjunções e, ou, nem dispensam o uso da vírgula.                             
Ex.: Conversaram sobre futebol, religião e política.
Não se falavam nem se olhavam./ Ainda não me decidi se viajarei para Bahia ou Ceará.
Entretanto, se essas conjunções aparecerem repetidas, com a finalidade de dar ênfase, o uso da vírgula passa a ser obrigatório.
Ex.: Não fui nem ao velório, nem ao enterro, nem à missa de sétimo dia.

A vírgula entre orações

É utilizada nas seguintes situações:

a) Separar as orações subordinadas adjetivas explicativas.
Ex.: Meu pai, de quem guardo amargas lembranças, mora no Rio de Janeiro.

b) Separar as orações coordenadas sindéticas e assindéticas (exceto as iniciadas pela conjunção: e ).       
Ex.: Acordei, tomei meu banho, comi algo e saí para o trabalho. Estudou muito, mas não foi aprovado no exame.
Há três casos em que se usa a vírgula antes da conjunção:
       1) Quando as orações coordenadas tiverem sujeitos diferentes.
Ex.: Os ricos estão cada vez mais ricos, e os pobres, cada vez mais pobres.
       2) Quando a conjunção e vier repetida com a finalidade de dar ênfase (polissíndeto).                                  
Ex.: E chora, e ri, e grita, e pula de alegria.
        3) Quando a conjunção e assumir valores distintos que não seja da adição (adversidade, conseqüência, por exemplo)           
 Ex.: Coitada! Estudou muito, e ainda assim não foi aprovada.

c) Separar orações subordinadas adverbiais (desenvolvidas ou reduzidas), principalmente se estiverem antepostas à oração principal.                                          
 Ex.: "No momento em que o tigre se lançava, curvou-se ainda mais; e fugindo com o corpo apresentou o gancho."( O selvagem - José de Alencar)

d) Separar as orações intercaladas.                                                   Ex.: "- Senhor, disse o velho, tenho grandes contentamentos em a estar plantando..."
Essas orações poderão ter suas vírgulas substituídas por duplo travessão.                      
Ex.: "Senhor - disse o velho - tenho grandes contentamentos em a estar plantando..."

e) Separar as orações substantivas antepostas à principal.
Ex.: Quanto custa viver, realmente não sei.

OBS: Esse conteúdo foi retirado do site: http://www.coladaweb.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário